Sobre a instituição

Logotipo

Matriz PORTO ALEGRE - RS
Consolidação Instituição Independente
Data de Abertura 00/00/0000
Controle Acionário Privado Nacional
Tipo da Instituição Cooperativas Centrais e Confederações de Crédito

Resumo do Último Balanço

Índice de Basileia
Índice de Imobilização
  • 09/2017
    Publicação
  • -0,0
    Lucro Líquido (R$)
  • 44,7 milhões
    Patrimônio Líquido (R$)
  • 1,7 bilhão
    Ativo Total (R$)
  • 0
    Captações (R$)
  • 0
    Carteira de Crédito Classificada (R$)
  • 43,4 milhões
    Patrimônio de Referência RWA (R$)
  • -
    Número de Agências
  • -
    Número de Pontos de Atendimento
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data - Instituição/Conglomerado Prudencial

Histórico do Lucro Líquido

O lucro líquido corresponde à soma dos resultados operacional e não operacional da instituição após o desconto de impostos e participação nos lucros. É o quanto sobra de tudo que a instituição arrecada e gasta para manter seu funcionamento.
Ano Resultado Valor (R$)
2017 (parcial) Prejuízo -0,0
2016 Lucro 0,0
2015 Prejuízo -0,0
2014 Lucro 0,0
Fonte: Banco Central - Sistema IF.data / Conglomerado Prudencial

Índices de Basileia e Imobilização

Em síntese, o Índice de Basileia determina a relação entre o capital próprio da instituição e o capital de terceiros (captações) que será exposto a risco por meio da carteira de crédito. Por exemplo, se um banco possui Índice de Basiléia de 20%, significa que, para cada R$ 100,00 emprestados, o banco possui patrimônio de R$ 20. O índice mínimo exigido pelo Banco Central do Brasil é 11%.
Quanto mais reduzido for o Índice de Imobilização, maior agilidade terá o banco para usar seu patrimônio a fim de honrar seus compromissos. Por exemplo, se um banco possui Índice de Imobilização de 30%, significa que, a cada R$ 100,00 em seu patrimônio, R$ 30,00 estarão investidos em bens que não possuem uma liquidez imediata, ou seja, imobilizado em imóveis, veículos, materiais, etc. O índice máximo tolerado pelo Banco Central do Brasil é 50%.

Data Setembro de 2017 Junho de 2017 Março de 2017 Dezembro de 2016 Setembro de 2016 Junho de 2016 Março de 2016 Dezembro de 2015 Setembro de 2015
Basileia 13,7% 16,9% 20,3% 17,7% 18,6% 18,7% 21,1% 17,9% 19,3%
Imobilização 18,9% 21,2% 19,0% 14,8% 14,0% 5,3% 3,8% 8,3% 7,2%
Fonte: Banco Central - Sistema IF.data / Conglomerado Prudencial

Lucro Líquido Trimestral

O lucro líquido corresponde à soma dos resultados operacional e não operacional da instituição após o desconto de impostos e participação nos lucros. É o quanto sobra de tudo que a instituição arrecada e gasta para manter seu funcionamento.
O resultado operacional é aquilo que a instituição foi capaz de lucrar com suas atividades de intermediação financeira e prestação de serviços, tais como operações de crédito e tarifas bancárias, já estando deduzidas despesas de captação, tributárias e administrativas.
O resultado não operacional refere-se a operações que não fazem parte da natureza da atividade principal instituição, como a venda de itens que compõem ativo permanente (imóveis, veículos, maquinário, etc).

Trimestre 3T2017 2T2017 1T2017 4T2016 3T2016 2T2016 1T2016 4T2015 3T2015
Lucro Líquido -0,0 -0,0 0,0 -0,0 0,0 0,0 0,0 -0,0 0,0
Resultado Operacional -140,8 mil -231,8 mil -636,4 mil -558,0 mil -776,8 mil -676,0 mil -366,6 mil -163,6 mil -617,2 mil
Resultado Não Operacional 682,2 mil 513,0 mil 639,7 mil 882,5 mil 781,7 mil 694,6 mil 374,0 mil 513,6 mil 617,2 mil
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Patrimônio Líquido e de Referência

O patrimônio líquido representa valores pertencentes aos acionistas ou quotistas. Inclui o capital social, reservas de capital, ajustes de variação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados.
O patrimônio de referência é um ajuste sobre o patrimônio líquido, levando em consideração provisões, reservas, créditos tributários, entre outros valores.

Data de Apuração Setembro de 2017 Junho de 2017 Março de 2017 Dezembro de 2016 Setembro de 2016 Junho de 2016 Março de 2016 Dezembro de 2015 Setembro de 2015
Patrimônio Líquido 44,7 milhões 44,1 milhões 44,1 milhões 44,1 milhões 44,1 milhões 44,1 milhões 44,1 milhões 37,0 milhões 37,0 milhões
Patrimônio de Referência 43,4 milhões 42,9 milhões 43,2 milhões 42,6 milhões 42,8 milhões 42,7 milhões 42,9 milhões 37,0 milhões 35,9 milhões
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Composição da Receita

A receita operacional de uma instituição financeira é aquilo que se arrecada com suas atividades de intermediação financeira, como operações de crédito, operações com títulos e valores mobiliários, prestação de serviços, tarifas bancárias, participações, entre outras fontes de receita.
Publicação 2017 - Parcial 2016 2015 2014
Rendas de Operações de Crédito (a1) 0 0,0% 0 0,0% 3,2 mil 0,0% 193,1 mil 0,3%
Rendas de Operações com TVM (a3) 113,4 milhões 97,5% 150,4 milhões 99,9% 107,4 milhões 99,7% 71,5 milhões 98,1%
Rendas de Prestação de Serviços (d1) 2,8 milhões 2,4% 49,6 mil 0,0% 1,6 mil 0,0% 0 0,0%
Rendas de Tarifas Bancárias (d2) 22,6 mil 0,0% 93,7 mil 0,1% 268,7 mil 0,2% 1,2 milhão 1,6%
Outras Receitas Operacionais (d7) 36,0 mil 0,0% 16,8 0,0% -0,0 0,0% 15,0 mil 0,0%
Total (a1+a2+a3+a4+a5+a6+d1+d2+d6+d7) 116,3 milhões 150,6 milhões 107,7 milhões 72,9 milhões

Composição das Despesas

As despesas operacionais de uma instituição financeira envolvem gastos com a captação de recursos, provisões para créditos de difícil liquidação, manutenção da estrutura administrativa, remuneração de funcionários, entre outros fatores que demandam saída de recursos de caixa.
Publicação 2017 - Parcial 2016 2015 2014
Despesas de Captação (b1) 111,1 milhões 94,7% 146,4 milhões 95,7% 104,8 milhões 95,9% 67,6 milhões 91,8%
Resultado de Provisão para Créditos de Difícil Liquidação (b5) 0 0,0% -7,1 mil 0,0% -23,7 mil 0,0% 12,4 mil 0,0%
Despesas de Pessoal (d3) 6,3 milhões 5,4% 7,7 milhões 5,0% 6,8 milhões 6,2% 6,5 milhões 8,9%
Despesas Administrativas (d4) -194,7 mil -0,2% -1,2 milhão -0,8% -3,8 milhões -3,5% -549,4 mil -0,7%
Despesas Tributárias (d5) 90,3 mil 0,1% 12,1 mil 0,0% 398,4 0,0% 132,6 0,0%
Outras Despesas Operacionais (d8) 4,5 mil 0,0% 45,2 mil 0,0% 1,5 milhão 1,4% 30,1 mil 0,0%
Total (b1+b2+b3+b4+b5+d3+d4+d5+d8) 117,3 milhões 153,0 milhões 109,2 milhões 73,6 milhões

Composição do Ativo Total

O ativo total representa os bens e direitos de uma instituição financeira em um determinado momento, sendo composto por disponibilidades em caixa, aplicações interfinanceiras (depósitos em outras instituições financeiras), carteira de títulos e valores mobiliários, carteira de crédito e arrendamento mercantil, permanente, entre outros.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Disponibilidades (a) 6,6 mil 0,0% 15,7 mil 0,0% 19,0 mil 0,0% 14,1 mil 0,0%
Aplicações Interfinanceiras de Liquidez (b) 37,0 milhões 2,2% 708,1 mil 0,1% 6,8 milhões 0,7% 64,0 milhões 8,3%
TVM e Instrumentos Financeiros Derivativos (c) 1,4 bilhão 85,1% 1,2 bilhão 88,9% 899,6 milhões 88,5% 690,2 milhões 89,4%
Operações de Crédito Líquidas de Provisão (d) 0 0,0% 0 0,0% 707,0 mil 0,1% 3,0 milhões 0,4%
Outros Créditos - Líquido de Provisão (f) 1,9 milhão 0,1% 781,3 mil 0,1% 981,2 mil 0,1% 1,2 milhão 0,2%
Outros Ativos Realizáveis (g) 191,7 milhões 11,4% 128,0 milhões 9,6% 93,7 milhões 9,2% 6,3 milhões 0,8%
Permanente Ajustado (h) 19,8 milhões 1,2% 17,8 milhões 1,3% 14,5 milhões 1,4% 7,4 milhões 1,0%
Ativo Total (a+b+c+d+e+f+g+h-j) 1,7 bilhão 100,0% 1,3 bilhão 100,0% 1,0 bilhão 100,0% 772,2 milhões 100,0%

Captações

As captações são as formas adotadas pela instituição financeira para obter recursos no mercado. Entre os possíveis meios de captação de recursos estão a emissão de títulos como os Certificados de Depósito Bancário (CDB), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Caderneta de Poupança, que são instrumentos amplamente divulgados no segmento de varejo, além de depósitos à vista, interfinanceiros, entre outros.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Depósitos à Vista (a1) 0 - 0 - 0 - 0 -
Total de Captações 0 - 0 - 0 - 0 -

Número de Agências

Os dados abaixo demonstram a evolução do número de agências e pontos de atendimento presenciais da instituição financeira.
Publicação Número de Agências Pontos de Atendimento
Setembro de 2017 Não disponível -
Dezembro de 2016 Não disponível -
Dezembro de 2015 Não disponível -
Dezembro de 2014 Não disponível -
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Quantidade de Clientes e Operações

Quantidade de clientes e operações presentes na carteira de crédito da instituição financeira.
Publicação Número de Clientes Número de Operações
Setembro de 2016 1 1
Dezembro de 2015 1 1
Dezembro de 2014 1 1
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito por Região Geográfica

Os dados abaixo demonstram a concentração por região geográfica da carteira de crédito da instituição financeira.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Sul - - 0 - 714,1 mil 100,0% 3,1 milhões 100,0%
Não Informada 0 - 0 - 0 0,0% 0,0 0,0%
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito por Indexador

Os indexadores são os índices utilizados pela instituição para rentabilizar sua carteira de crédito. Prefixados, TR, TJLP, IPCA, CDI, SELIC, entre outros indexadores, atualizam a carteira de crédito ativa da instituição.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Carteira ativa com indexador CDI - - - - 714,1 mil 100,0% 3,1 milhões 100,0%
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito por Nível de Risco

Os níveis de risco são um sistema de classificação da carteira de operações de crédito em nove níveis, em ordem crescente de risco: AA, A, B, C, D, E, F, G, H. As metodologias de determinação do risco levam em consideração fatores como:
Para o devedor e seus garantidores: situação econômico-financeira, grau de endividamento, capacidade de geração de resultados, fluxo de caixa, administração e qualidade de controles, pontualidade e atrasos nos pagamentos, contingências, setor de atividade econômica e limite de crédito.
Em relação à operação de crédito: natureza e finalidade da transação, características das garantias quanto à suficiência e liquidez e valor.

Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
A - - - - - - - -
B - - - - 714,1 mil 100,0% 3,1 milhões 100,0%
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito PJ por Modalidade

Os dados abaixo demonstram o direcionamento da carteira de crédito da instituição financeira às diferentes modalidades de linhas de crédito disponíveis para Pessoa Jurídica. Entre as modalidades disponíveis estão Capital de Giro, Investimento, Capital de Giro Rotativo, Operações com Recebíveis, Comércio Exterior, Rural e Agroindustrial, Habitacional, Financiamento de Infraestrutura, entre outros.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Capital de Giro - - - - - - 3,1 milhões 100,0%
Investimento - - - - 714,1 mil 100,0% - -
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito PJ por Porte do Tomador

Abaixo, a concentração da carteira de crédito ativa Pessoa Jurídica da instituição financeira com base no porte do tomador do crédito. Os seguintes critérios são adotados nesta classificação:
  • Microempresa: receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360 mil;
  • Pequena: receita bruta anual superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 4,8 milhões;
  • Média: receita bruta anual superior a R$ 4,8 milhões e igual ou inferior a R$ 300 milhões, desde que seu ativo total não seja superior a R$ 240 milhões;
  • Grande: receita bruta anual superior a 300 milhões ou ativo total superior a R$ 240 milhões.

Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Micro - - - - 714,1 mil 100,0% - -
Pequena - - - - - - 3,1 milhões 100,0%
Média - - - - - - - -
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Carteira de Crédito PJ por Atividade Econômica (CNAE)

Os dados abaixo possibilitam observar a distribuição da carteira de crédito ativa da instituição financeira de acordo com a Atividade Econômica do tomador, com base na CNAE – Classificação Nacional de Atividades Econômicas.
Publicação Setembro de 2017 Dezembro de 2016 Dezembro de 2015 Dezembro de 2014
Construção - - - - 714,1 mil 100,0% - -
Outros - - - - - - 3,1 milhões 100,0%
Fonte: Banco Central - Sistema IF.Data

Instituições do Conglomerado

Um conglomerado é composto por diversas instituições, que podem atuar em segmentos distintos. Por exemplo, uma instituição pode ser um banco comercial e outra uma corretora de valores. Cada instituição também possui seus resultados individualizados. Para acessá-los, clique sobre o nome da instituição na lista abaixo.
  • Nenhuma instituição individual foi vinculada a este conglomerado.

Balancetes

Os balancetes são dados informados com periodicidade mensal pelas instituições financeiras ao Banco Central, que os divulga por meio do sistema de Balancetes. Estes relatórios trazem informações contábeis sobre as instituições individuais – como bancos, corretoras e cooperativas – e conglomerados financeiros, que compreendem várias instituições de um mesmo grupo. Observe a taxonomia associada a cada instituição na lista abaixo a fim de reconhecer a qual tipo de instituição o relatório se refere.
Os dados constantes deste relatório são fornecidos pelas próprias instituições ao Banco Central, que os disponibiliza publicamente por meio do Sistema IF.Data, podendo apresentar diferenças em relação aos dados divulgados na imprensa em atendimento à legislação societária pelas instituições financeiras constituídas sob a forma de sociedade anônima.

Dados isolados

Carteira de crédito ativa Pessoa Jurídica - por atividade econômica (CNAE)
Carteira de crédito ativa Pessoa Jurídica - por porte do tomador
Carteira de crédito ativa - quantidade de clientes e de operações
Carteira de crédito ativa - por nível de risco da operação
Carteira de crédito ativa - por indexador
Carteira de crédito ativa - por região geográfica